jusbrasil.com.br
21 de Abril de 2021
    Adicione tópicos

    Almirante Negro ganha estátua na Praça XV

    Governo do Estado do Rio de Janeiro
    há 12 anos

    Por Renata Cruz

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve nesta quinta-feira (20/11) no Rio de Janeiro para participar de várias atividades em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, que este ano coincidiu com o feriado de Zumbi dos Palmares. Acompanhado pelo governador em exercício Luiz Fernando Pezão, Lula inaugurou, na Praça XV, centro do Rio, uma estátua em homenagem a João Cândido, que liderou a Revolta da Chibata, em 1910. Em julho deste ano, o presidente concedeu anistia post mortem ao marinheiro negro.

    – Agradeço ao Pezão por esta oportunidade. Este é um daqueles momentos quase mágicos que todo presidente sonha viver. Hoje lembramos um herói nacional no Rio de Janeiro. Só conhecendo a nossa história é que vamos formar uma consciência política – disse Lula.

    O governador em exercício concordou com o presidente e afirmou que o reconhecimento a seus líderes é um direito dos brasileiros que acreditam em uma sociedade mais justa e solidária.

    - João e seus companheiros foram vítimas de perseguição. Esta anistia é uma reparação histórica que o presidente Lula está fazendo a João Cândido e seus familiares. A história dele é a história da luta pelos direitos humanos no país, pois ele protagonizou um momento importante para a democracia nacional – disse Pezão.

    Durante seu discurso, o presidente defendeu, ainda, que o feriado de Zumbi dos Palmares seja nacional. Já há um projeto de lei tramitando no Congresso Nacional para que isso aconteça.

    – O Rio de Janeiro foi a primeira cidade do Brasil a adotar o feriado, em 1999. Em 2006, eram 225 municípios e, hoje, 350 cidades já adotam o dia 20 de novembro como feriado – disse o presidente.

    Antes de inaugurar a estátua em homenagem a João Cândido, Lula e Pezão participaram de encontros com líderes religiosos e com o Movimento Democrático pela Anistia e Cidadania, na Bolsa de Valores do Rio. Na programação do evento, houve ainda apresentação do Coral Mané Garrincha e shows com Dona Ivone Lara, Martinho da Vila e João Bosco, entre outros artistas. Também participaram das comemorações a secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Benedita da Silva; o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos; a ministra de Políticas para Mulheres, Nilcéa Freire; o ministro dos Esportes, Orlando Silva; e os senadores Marina Silva e Marcelo Crivella.

    O Almirante Negro

    João Cândido Felisberto nasceu em 1880 e entrou para a Marinha aos 13 anos. Em 1910, liderou a Revolta da Chibata, contra as punições corporais na instituição. A iniciativa lhe rendeu o apelido de Almirante Negro. Ele conseguiu que o governo federal se comprometesse a abolir os castigos aos marinheiros, mas nem por isso deixou de ser punido. Foi preso e sobreviveu à tentativa de assassinato na Ilha das Cobras. Em 1911, foi internado em um hospício. João Cândido continuou a trabalhar descarregando peixes de navios até a morte, 1969, aos 89 anos. Na década de 70, ganhou dos compositores Aldir Blanc e João Bosco o samba O mestre-sala dos mares, imortalizado na voz de Elis Regina, em sua homenagem.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)